A importância da pronúncia na comunicação de sucesso.

Two people having a conversation

Pronunciation for successful communication

Being understood

We all know how important pronunciation is for intelligibility: if we can’t understand the individual sounds in a language (referred to as phonemes), we can’t recognize words and without word recognition, we can’t segment speech into meaningful chunks or phrases (referred to as tone units or thought groups). How often do we say ‘I couldn’t make out a word he/she was saying’.

A certain level of clarity and precision is necessary in pronunciation in order to achieve intelligibility. It has been suggested that there may be a ‘threshold’ level of intelligibility, below which individuals will not be understood (Hinofotis and Bailey, 1980).

Arguably, the degree of precision and clarity needed in a message varies from situation to situation. For example, it doesn’t particularly matter if you don’t understand every word that a friend says in a noisy café, as long as you get the gist. However, it can be much more crucial that a message between a pilot and air traffic controller is clear and precise (as we saw in week 2).

Being fluent

The role of pronunciation in communication is not restricted to intelligibility. Its function in communication goes far beyond simply recognising and understanding words in speech (i.e., intelligibility). Aspects of pronunciation, such as stress, rhythm, accentuation and pausing, also contribute to perceptions of speaker fluency, i.e. to the continuity, smoothness or evenness of speech. A speaker who pauses too much or in unexpected places, or who speaks too quickly or slowly, or who doesn’t signal clearly which parts of a message are more important than others is likely at least to irritate the listener or be labelled as linguistically incompetent.

Making an impression

Pronunciation, arguably more than any other area of language, can provoke emotional reactions. How we speak can quickly create lasting positive or negative impressions or strong reactions – ‘I can’t stand his voice’ – ‘I liked the sound of him’ – ‘don’t take that tone with me’.

The first impression we make when we speak is through our voice and our pronunciation. Through our accent, tone of voice and delivery, we convey a great deal about who we are and how we feel. Research suggests that pronunciation can have a crucial impact on how others evaluate us; accents can affect how intelligent or attractive you are perceived to be, and can potentially affect results in exams, trials and job interviews.

In this sense, pronunciation, and accent in particular, can have considerable strategic value, that is it can perform a ‘gatekeeping’ function. For instance, having the ‘right’ accent can open doors to career or social opportunities, while having a strong regional or foreign accent can lead to negative impressions and discrimination

Em Português

Pronúncia para uma comunicação bem sucedida

Ser entendido

Todos sabemos como a pronúncia é importante para a inteligibilidade: se não podemos entender os sons individuais em uma linguagem (denominada fonemas), não podemos reconhecer palavras e sem reconhecimento de palavras, não podemos segmentar a fala em partes significativas ou frases (referidas como unidades de tom ou grupos de pensamento). Com que frequência dizemos “não consegui distinguir uma palavra que ele / ela estava dizendo”.

Um certo nível de clareza e precisão é necessário na pronúncia, a fim de alcançar a inteligibilidade. Tem sido sugerido que pode haver um nível de inteligibilidade “limiar”, abaixo do qual os indivíduos não serão compreendidos (Hinofotis e Bailey, 1980).

Indiscutivelmente, o grau de precisão e clareza necessário em uma mensagem varia de situação para situação. Por exemplo, não importa se você não entende cada palavra que um amigo diz em um café barulhento, contanto que você adquira a essência. No entanto, pode ser muito mais crucial que uma mensagem entre um piloto e um controlador de tráfego aéreo seja clara e precisa (como vimos na semana 2).

Ser fluente

O papel da pronúncia na comunicação não se restringe à inteligibilidade. Sua função na comunicação vai muito além do simples reconhecimento e compreensão das palavras na fala (ou seja, inteligibilidade). Aspectos da pronúncia, como estresse, ritmo, acentuação e pausa, também contribuem para as percepções da fluência do falante, ou seja, para a continuidade, suavidade ou uniformidade da fala. Um orador que faz uma pausa demais ou em lugares inesperados, ou que fala rápido ou vagaroso, ou que não sinaliza claramente quais partes de uma mensagem são mais importantes do que outras, provavelmente irrita o ouvinte ou é rotulado como linguisticamente incompetente. .

© University of Leicester

Fazendo uma impressão

A pronúncia, sem dúvida mais do que qualquer outra área da linguagem, pode provocar reações emocionais. O modo como falamos pode criar rapidamente impressões duradouras, positivas ou negativas, ou reações fortes – “Eu não suporto a voz dele” – “Gostei do som dele”, “não tomo esse tom comigo”.

A primeira impressão que fazemos quando falamos é através da nossa voz e da nossa pronúncia. Através do nosso sotaque, tom de voz e entrega, transmitimos muito sobre quem somos e como nos sentimos. Pesquisas sugerem que a pronúncia pode ter um impacto crucial em como os outros nos avaliam; O sotaque pode afetar o quão inteligente ou atraente você é, e pode afetar os resultados em provas, testes e entrevistas de emprego.

Nesse sentido, a pronúncia e o sotaque em particular podem ter um valor estratégico considerável, isto é, podem executar uma função de “gatekeeping”. Por exemplo, ter o sotaque “certo” pode abrir portas para oportunidades profissionais ou sociais, embora ter um forte sotaque regional ou estrangeiro possa levar a impressões negativas e discriminação

Advertisements