Como melhorar suas habilidades em inglês

Ouça inglês o máximo possível

Pode ser nas músicas, séries de TV, filmes, vídeos na internet e tudo mais que você conseguir. Mesmo para quem está começando a explorar esse idioma agora e entende apenas algumas (poucas) palavras, criar o hábito de ouvir é fundamental. Assim, pouco a pouco você vai se familiarizando com a pronúncia dos vocábulos e como uma palavra acaba se “emendando” na outra em uma frase.

Não tenha medo de se expor ao inglês em vários momentos do seu dia, independente do quanto você consegue compreender no início.

 

Não se assuste quando não entender

É perfeitamente normal não compreender algumas coisas que você ouve em inglês, especialmente se estiver no início da sua empreitada. Lembre-se que, algumas vezes, você não entende nem mesmo algo em português que é dito em um primeiro momento, mesmo sendo a sua língua materna.

Quando não entender, continue ouvindo, porque pode ser que o contexto torne aquele trecho indecifrável dispensável. Se desejar, ao final daquele vídeo ou música, volte ao que não entendeu para tentar novamente. O importante é não desistir.

 

Foque na pronúncia

Quanto melhor for o seu domínio da pronúncia, melhor será também o listening. Procure ouvir e repetir o que você ouve: palavras soltas, frases, pequenos textos. Tente gravar a sua voz e depois ouça novamente. Sinta o que você ouviu e veja se lhe parece bom.

 

Noticiários em inglês

Procure vídeos de telejornais apresentados em inglês e assista. Eles costumam abordar temáticas do cotidiano, então, vão ajudar você a entender contextos importantes e corriqueiros, que provavelmente vão ser necessários se um dia você viajar para o exterior ou enfrentar qualquer situação em que precise se virar no inglês.

Leia bastante

A prática regular da leitura ajuda imensamente o desenvolvimento da sua capacidade de memorização e de uso correto do vocabulário e da gramática necessários no momento da fala. Leia o máximo que puder, livros de qualquer estilo. Não importa, o importante é a leitura

Bons estudos!

Advertisements

Como ajudar um aluno de 2ª Língua em sala de aula.

Aprender em um segundo idioma pode ser desafiador, mas como o professor pode fazer uma grande diferença. Veja um resumo das principais ideias.

1- A linguagem é mais do que vocabulário, gramática e ortografia. É moldado por discursos, convenções de gênero e contexto.

2- Os estudantes precisam controlar tanto o registro interpessoal cotidiano quanto o registro acadêmico mais formal para obter sucesso na escola.

3- Os alunos de idiomas virão de várias circunstâncias com uma variedade de recursos, por isso, não faça suposições sobre suas necessidades.

4- Não o deixe em osmose – planeje o aprendizado de idiomas, bem como o aprendizado do currículo.

5- Mantenha o foco em fazer sentido, não em correção.

Incentivar a repetição, reciclagem e redundância.

Use recursos visuais e gestos para apoiar os alunos de idiomas.

6- Em seus recursos de conversação e sala de aula, busque “mais compreensibilidatde”.

7- Receba as primeiras línguas dos seus alunos na sala de aula.

8- Planeje diferentes espaços e atividades para diferentes tipos de conversa.

9- Dê aos alunos de idiomas um pouco mais de tempo de espera.

10- Entenda as demandas específicas de idioma da sua área de currículo.

11- Construa o ciclo de gênero em seu planejamento de aula.

12- Deixe os alunos entrarem no mundo das convenções de gênero.

13- Use o feedback sobre o trabalho dos alunos como uma oportunidade para o aprendizado de idiomas.

15- Observe como os alunos de sua língua estão progredindo e planeje o próximo estágio.

© Universidade de Glasgow

Learning in a second language can be challenging, but a language-aware teacher can make a big difference. Here’s a summary of the main ideas.

  • Language is more than vocabulary, grammar and spelling. It is shaped by discourses, genre conventions and context.
  • Students need control of both the everyday interpersonal register and the more formal academic register to succeed in school.
  • Language learners will come from a variety of circumstances with a variety of resources, so don’t make assumptions about their needs.
  • Don’t leave it to osmosis – plan for language learning as well as curriculum learning.
  • Keep the focus on making meaning, not on correctness.
  • Encourage repetition, recycling and redundancy.
  • Use visuals and gestures to support language learners.
  • In your talk and classroom resources, aim for ‘comprehensibility plus’.
  • Welcome your students’ first languages into the classroom.
  • Plan different spaces and activities for different types of talk.
  • Give language learners a bit more wait time.
  • Understand the particular language demands of your curriculum area.
  • Build the genre cycle into your lesson planning.
  • Let students into the secrets of genre conventions.
  • Use feedback on students’ work as an opportunity for language learning.
  • Observe how your language learners are progressing, and plan for the next stage.

Food for Thought

Frases ou dizeres para nos levar a pensar.

“A ship is safe in harbor, but that’s not what ships are for.” 

John A. Shedd

 

“Courage is found in unlikely places.” 

J.R.R. Tolkien

 

“You may not always have a comfortable life and you will not always be able to solve all of the world’s problems at once but don’t ever underestimate the importance you can have because history has shown us that courage can be contagious and hope can take on a life of its own.”

Michelle Obama

 

“Courage is what it takes to stand up and speak; courage is also what it takes to sit down and listen.”

Winston Churchill

 

“Since it is so likely that children will meet cruel enemies let them at least have heard of brave knights and heroic courage.” 

CS Lewis

 

“Never bend your head. Always hold it high. Look the world straight in the eye.”

Helen Keller

 

“Courage does not always roar. Sometimes courage is the quiet voice at the end of the day saying, ‘I will try again tomorrow.”

Mary Anne Radmacher

http://www.activityvillage.co.uk/

Past Simple

O uso do Simple Past em inglês é muito específico e diferente do uso em português. Precisa ter uma época definida no passado, um limite de tempo, ou o uso de palavras que indiquem passado. #english #aulasdeingles #aulasdeinglesonline #inglêsonline #englishteacher #ingles #inglesfluente

How can we provide challenge for a child who is learning English

  • Children can really learn a language if they are playing.
  • Never force a child to speak, they will when they are ready.
  • Children learn best when they are interested in something.
  • Children pick up languages best if there is a context and reason to use it.

Young children learn through their senses with a trial and error approach. While gradually learning boundaries and expectations is important, it is totally normal for very young children not to behave in the way that an adult expects. By observing children and really tuning into their interests, we can plan activities and experiences that are age-appropriate and engaging. When children are engaged in motivating and meaningful activities, their ‘behaviour’ is less of an issue.

When we assess a young child, we are asking ourselves “What do my observations tell me about this child?”Assessment is about analysing our observations and understanding the potential of each child.

When a child learns something new or develops a new skill, we often call this a ‘magic’ or a ‘wow’ moment. Observation and really knowing the child are key to recognising these developmental milestones. We can plan the next steps for a child’s learning after we have observed a developmental milestone.

All young children are learning something, and assessment in early childhood means analysing what a child can do. Comparing a child to his or her classmates is not useful, as it doesn’t tell us anything about what individual progress a child has made (what they knew or could do before, what they know and can do now). Assessment in early childhood is about helping children move forward in their learning and development, and labelling a child ‘intelligent’ doesn’t help them make progress in any way. To give a child confidence, it is more useful to comment on a specific thing they have done well, rather than give them a generic label.

Children should be assessed in a genuine situation rather than through a contrived, adult-led test. Asking a child to count is not a reliable way of gathering information, as the child may become anxious when asked to ‘perform’, may not understand why they are being asked to count, or may not feel confident enough to share what they can do, even though they actually do know how to count. By observing the children while they are playing, the teacher sees that, as well as being able to count to five, the child also knows the colours blue and pink. Had the focus of the assessment just been on counting, the teacher might have missed this.

Spending time with children, and observing what they know and can do, will help you provide the right amount of challenge and support. For a child who is learning English, this could be knowing their favourite story or song and encouraging them to join in with key refrains, observing that they understand the words for different toys in English and encouraging them to say some of these words, or modelling key language associated with a particular activity.

© British Council